Tratar a fobia

O medo é uma reação básica, comum e funcional que leva a pessoa a evitar uma situação de perigo. No entanto, quando este medo se torna persistente, exagerado e irracional, pode falar-se de fobia.


Nestes casos, a pessoa tende a evitar ao máximo a situação ou objeto causador deste medo e, ao mesmo tempo, experiencia sentimentos desagradáveis relacionados com estados de ansiedade, tais como tremores, suores, palidez, alterações da respiração e do ritmo cardíaco que podem derivar em ataques de pânico, nos casos mais graves.


O que determina a existência de uma fobia é a existência de uma reação exagerada em relação ao perigo real que determinado objeto ou situação representa. A reação pode acontecer perante o objeto e situação em si ou perante a possibilidade de exposição no futuro (por antecipação).


Geralmente as fobias têm a sua origem em situações traumatizantes da infância e adolescência. Tal não significa que não se possam desenvolver fobias noutras fases da vida.

Do mesmo modo, nem todas as fobias têm na sua base um determinado acontecimento traumático, podendo ter a sua origem no contexto familiar ou social, bem como na interpretação das experiências vividas que é feita pela própria pessoa.


Tratar a fobia passa por entender a causa da sua existência, o momento e a situação ou época em que surgiu. Apesar de, na maioria das vezes, a pessoa reconhecer que o seu medo é irreal, é-lhe impossível deixar de o sentir ou, até, controlá-lo.


Muitas vezes, a menos que a fobia seja incapacitante, a pessoa não procura ajuda para a resolver. Mas, as fobias podem ser curadas através de psicoterapia! Na Clínica Samaúma podes encontrar profissionais que te podem dar um apoio especializado, que se adapte à tua situação e necessidade.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo